鷹爪翻子門孟仁武館

Quem Somos

A A.T.S. (Associação Taboão da Serra de Kung Fu Garra de Águia) é uma academia conceituada no quesito Arte Marcial Chinesa, onde crianças, jovens e adultos de ambos os sexos acabam aprendendo não somente uma milenar Arte Marcial, mas se desenvolve quanto atividades esportivas, sociabilidade, disciplina, saúde, equilíbrio e vitalidade. Localizada na cidade de Taboão da Serra no Estado de São Paulo proporcionando a seus alunos a possibilidade de testar suas habilidades em demonstrações e campeonatos e apresentações fazendo com maestria e surpreendendo a quem nunca se imaginou realizando movimentos através da beleza em sua arte, mostrando inclusive o caminho para que muitos se tornem atletas. Para a preparação física de nossos alunos, contamos com professores com alto grau de conhecimento técnico e marcial dando a suporte e conhecimento através do Kung Fu Garra de Águia, Sandá e tai Chi Chuan “Wu Hao”, em um ambiente bem familiar e amigável.

A A.T.S. tem realizado apresentações no Estado de São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul. Eventos como o Ano Novo Chinês, Festa do Imigrante, Desfile Cívico 7 de setembro, Virada Cultural e Festa das Nações, fizeram com que nossa Escola seja referência na cultura chinesa com apresentações de Dragões, Leões e claro muito Kung Fu Garra de Águia. Nossa Escola já se apresentou em cidades como: Ibiúna, Tatuí, Taboão da Serra, Itapecerica da Serra, Embú das Artes e em Bairros de São Paulo como na Liberdade, Aclimação e em Parques como Parque Dom Pedro, Parque do Ibirapuera entre outros.

Nossa Associação em 3 Copas de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau foi a maior Escola em número de integrantes, e nas inscrições ficou entre as primeiras sempre, marco maior que detêm o recorde de levar mais de 100 alunos e mais de 120 fichas de inscrições, absoluto até os dias de hoje. Como o número de eventos com participação expressiva de nossa Escola sempre chamou a atenção, temos como frase principal: A A.T.S. NÃO PARA E O TRABALHO SEMPRE APARECE".

Historia

General Yue Fei (Ngok Fei) Yue Fei, um dos maiores guerreiros da China, cujo feitos lendários tem inspirado entusiastas de Kung Fu por gerações, principalmente os praticantes de Garra de Águia e os seguidores do Yueiiaquan (Boxe do Clã Yue) em homenagem ao seu fundador. Como Rei Arthur, as aventuras lendárias de Yue Fei foram baseadas numa figura real e histórica.

Ele foi um líder militar durante a queda da Dinastia Song do Norte (960 a 1126 d.C.), e todos os chineses estão familiarizados com seus atos heróicos, relatados no romance do século XVII chamado Shouyuechuanzhuan (Biografia de Yue) bem como na Ópera de Pequim Shiertaojinpai (doze vezes disco de ouro). Yue Fei nasceu no contato de Tangyin, no Norte da província de Henan, em 1103 d.C. Seu nascimento foi promissor, pois seu pai Yue Huo, tinha 50 anos de idade e sua mãe tinha 40. Eles o chamaram de Fei, o que significa “voar”, com segundo nome de Pengiu, a qual se refere a uma lendária e gigante ave de rapina. Logo após seu nascimento, um místico da montanha, Hua, que passava pela vila ouviu o choro muito forte de Yue Fei e foi ver porque aquela criança que havia acabado de nascer chorava tanto. Quanto ele olhou para Yue Fei previu uma imagem ruim que não sabia explicar, então advertiu a Yue Huo que se a criança não parasse de chorar, que tanto a mãe quanto a criança deveriam sentar em um tonel gigante de madeira protegido secretamente por uma mágica Gliyphs. Quando eles entenderam seu aviso, uma grande enchente destruiu o vilarejo de Yue, matando seu pai Yue Huo, Yue Fei e sua mãe flutuaram para muito longe dentro do tonel, escoltado por uma revoada de águias. Após a longa viagem dentro do tonel eles foram parar em um vilarejo as margens do rio abaixo, onde o habitante acolheu-os tornando Yue Fei e sua mãe como criados.












Apesar de Yue Fei ter crescido na pobreza, sua mãe ensinou secretamente a ler e escrever. Eles não podiam gastar com pincel ou papel então ele praticava com uma vara na terra. Quando criança, ele geralmente lutava com outras crianças e sempre saia vitorioso. Seu equilíbrio atraiu a atenção do sábio guerreiro Zhou Tong de Shenxi, o qual adotou o jovem garoto. Ele o ensinou literatura e treino-o nas artes marciais, ensinando-o todas as 18 armas. Com apenas 16 anos, Yue Fei venceu uma competição de artes marciais. Ele rapidamente acertou 9 flechas em um alvo a 240 passos, uma admirável façanha que impressiono muito os juízes e competidores. Certa vez Zhou Tong levou Yue Fei para visitar um velho amigo Abade, Zhiming. Até então, o Abade era atormentado por uma enorme serpente que vivia em uma nascente sobrenatural. Ela tinha uma cabeça tão grande quanto à de um barril.

Yue Fei acertou a serpente na cabeça com uma pedra. A serpente contra-atacou e Yue Fei esquivou-se agarrando sua cauda, que instantaneamente se transformou em uma lança de ouro com aproximadamente 5 e meio de comprimento. O Abade disse que era uma arma divina e deu a Yue Fei um livro especial sobre artes marciais, incluindo a lança onde se tornou a principal arma do estilo Garra de Águia. Como a Espada Excalibur do Rei Arthur, aquela lança tornou-se a arma encantada de Yue Fei. Os limites da China confucionista, lealdade aos governantes e ao país eram muito importantes para serem respeitados. Porém surgem dilemas quando os governantes são corruptos, tais conflitos envolveram Yue Fei. A Dinastia Song fez história pelo aperfeiçoamento do processo de exame para recrutamento de oficiais do exercito, mas isso não eliminou as tentativas de fraudá-lo na sua vez. Durante um exame para a prestigiada ordem militar de Shuangyuan, Yue Fei foi desafiado pelo príncipe vilão de nome Liang. O Príncipe já tinha subornado todos os 4 oficiais exceto um, Lord Zhong. Zhong viu as habilidades de Yue Fei e conhecia as artimanhas do Príncipe, mas tinha que agir cuidadosamente devido aos outros oficiais comprados. Depois de Yue Fei ter vencido o Príncipe no arco e flecha e nos conhecimentos marciais, o Príncipe forçou-o a enfrentá-lo em batalha. Desde então o Príncipe Liang pertencia à alta hierarquia militar, deixado Yue Fei numa situação difícil. Se ele ferisse o Príncipe, certamente haveria vingança, se ele perdesse, o Príncipe o mataria.












O Príncipe disse a Yue Fei que se ele fingisse derrota, seria generosamente recompensado, porém seria um desonra para Yue Fei. Yue Fei recusou, ele astutamente tinha encontrado uma saída, enfureceu o Príncipe Liang fazendo-o assinar um juramento onde constava que se o desafiante fosse morto haveria vingança. Apesar do juramento, os homens de Liang secretamente se preparavam para matar Yue Fei se o Príncipe fosse ferido. Durante a batalha, Yue Fei não fez nada alem de se defender. O príncipe Liang tirou vantagem e golpeou severamente com sua espada até que Yue Fei perdesse a paciência. Ele acertou o Príncipe que caiu do seu cavalo e o matou com sua lança. Foi tão rápido que os homens do Príncipe não tiveram tempo de reagir. Chocados, os oficiais subordinados ordenaram que Yue Fei fosse decapitado. Porém todos os outros que também haviam sido testados foram testemunhas da luta e ergueram-se em fúria. Yue Fei havia vencido com justiça. Lord Zhong rapidamente arranjou uma fuga para ele. Muito depois, a mãe de Yue Fei lhe daria uma lição de lealdade. Usando um pincel, tinha misturada com vinagre e um alfinete, ela tatuou as costas do seu filho com os caracteres Jing Zhong Bao Guo (lealdade essencial recompensa ao país). Esse dizer é famoso entre os chineses, invocando o patriotismo de Yue Fei, e é a chave do ideal confucionista para o país. O governo Song era contra os dois Clãs Nômades de Manchuria, os Khitai (de quem os ocidentais deduziram seu nome original para China, “Cathay”) e os Jin. Anteriormente, os Jin ajudaram os Song a derrotar os Khitai, mas eles inevitavelmente se uniram aos Song, tornando a capital do norte Kaifeng em 1127, preparando o cenário para a próxima Dinastia Song do Sul. Esse era objetivo da campanha militar de Yue Fei. Seu principal oponente era o 4º Príncipe dos Jin chamado (ironicamente) de Wushu. Wushu empunhava um machado com desenho de um pássaro dourado e apesar de eles se encontrarem em diversas batalhas ele sobreviveu a Yue Fei. Yue Fei foi morto pelo traiçoeiro Primeiro Ministro Qin Kuai e sua esposa. Qin Kuai foi pego atrás das fronteiras Jin e persuadindo a conspirar com o Príncipe Wushu. Ele manipulou Yue Fei para voltar da frente de batalha com os Doze Decretos de Ouro Imperiais. Apesar de Yue Fei saber que ele caminhava para uma armadilha ele obedeceu por causa da sua fidelidade com o imperador e do juramento tatuado nas suas costas pela sua mãe. Este episodio, é tema da Ópera de Pequin mencionado anteriormente. No seu caminho de volta uma criatura do rio tomou a lança divina de Yue Fei, assim como à senhora do lago tomou de volta a Excalibur do Rei Arthur. Qin Kuai torturou Yue Fei batendo nele com bastões, quebrando seus dedos com blocos de sândalo e arrancando sua pele com emplastos de cola de peixe. Ele foi enforcado em 1141 ao lado do seu filho mais velho Yue Yun, e do seu Filho adotivo, Zhang Hsien.












Yue Fei tinha 39 anos segundo cálculos chineses. Wushu foi eventualmente morto por Niu Gao, um amigo de infância de Yue Fei, auxiliado por Zhong Liang, o neto do honesto de Lord Zhong e Kwan Ling, filho de Kwan Shing e um descendente do general Kwan Kun, o patrono das artes marciais. Como o General Kwan, Kwan Ling montava um magnífico cavalo chamado de Lebre Vermelha e empunhava um poderoso Dragão Verde de Lâmina de Lua Crescente, o Kwan Dao. Qin Kuai teve uma morte lenta e dolorosa. Quando ele finalmente tentou falar suas ultimas palavras, ele mordeu sua língua em pedaços e vomitou sangue. No local do tumulo de Yue Fei em Hangzhou, na província de Zhejiang, existe estatuas de Qin Kuai e sua esposa ajoelhados diante da cova de Yue Fei. Hoje, ainda é de costume para os visitantes cuspir ou até mesmo urinar nessas estatuas para honrar Yue Fei.

Yue Fei foi condecorado após a suas morte pelos imperados Song do sul Xiaozong (1163-1190) e Ningzong (1195-1224). Hoje nós pegamos nosso próprio tributo para este grande guerreiro toda vez que nós recontamos suas aventuras ou recitamos as veneráveis técnicas de Kung Fu Garra de Águia ou YUEJIAQUA. Todo praticante de Kung Fu deve saber o profundo legado de Yue Fei. Mas além do mundo marcial, Yue Fei é admirado por todos os chineses pelo o que ele representa. Por obedecer ao decreto Imperial e sua mãe, sabendo que ele encararia a tortura e a morte, Yue Fei exemplificou o ideal de lealdade de Confúcio (Xiao Shun). Poucas coisas atraem mais a paixão do coração chinês que a lealdade. Confúcio classificou-a como raiz de todo ato de benevolência. Isto também é tema central do Budismo chinês e figura proeminente no código de guerra japonês Bushido. Em muitos contos folclóricos de “Lealdade” crianças vão ao absurdo, de proporções grotescas para honrar seus pais. Para os individualistas ocidentais, total obediência apesar das conseqüências, se mostra detestável. Ao invés da desonra aos seus superiores, Yue Fei escolheu martírio. Em geral é a maldição dos heróis do Kung Fu. Para Yue Fei, uma morte agonizante nas mãos de seus inimigos foi o caminho de voar para sempre com as Águias. General Yue Fei (Ngok Fei) 2.2 - As Variações do Estilo Garra de Águia O estilo Garra de Águia, desde a sua origem vem sofrendo evoluções e variações nas diferentes escolas e linhagens. Lily Lau nota que “existem muitos estilos e técnicas de Garra de Águia”, “porém só posso falar sobre a minha linhagem desde que estou familiarizada com os outros”. “Ela pode ser traçada de volta a China na cidade natal em que foi fundada, na província de Huibei. Mesmo agora, meus colegas de treino estão ensinando o mesmo estilo vindo daquela vila.












Ultimamente, muitas escolas de “estilos de Águia” surgem como Wushu moderno de Garra de Águia e o Garra de Águia do Templo Shaolin. O Garra de Shaolin pode ser traçado de volta ao fundador do Fanzi Quan, o Monge Lai Chung. Ele escreveu um texto secreto sobre o estilo Garra de Águia Fanzi Quan, então consequentemente, o Shaolin teve realmente um sistema de Garra de Águia, quase igual ao meu. Agora, contudo, as formas estão encurtadas ou incompletas, isso pode ter acontecido por causa da revolução Cultural ou outros desastres que aconteceram no Templo de Shaolin. A respeito do Garra de Águia de Wushu moderno, apenas demonstra o formato dos movimentos Garra de Águia, porém não há nenhuma técnica de combate utilizável nesse estilo. Se adotasse as técnicas tradicionais de combate unindo as formas, seria perfeito. “Também ouvi falar sobre alguns sistemas de Garra de Águia no sul no território novo de Kowloon, porém quando assisti a demonstração notei que a maioria das técnicas são do Hung Gar e muito poucas do Chin-Nan Garra de Águia”. A importância dessas observações do Garra de Águia propõe questões interessantes para os historiadores do Kung Fu, e deixa o tópico desenvolvido para outros estudos. HISTÓRIA DO MAIOR GUERREIRO DE KUNG FU O santo protetor das academias de Kung Fu, Seu sobrenome era Kuan e seu nome Wan Cheen. Kun, na China significa “muito respeito”. ”Após Rei”.Esta palavra era de categoria mais alta em termo de classe. Daí o nome Kuan Kun, em Cantonês.Tiy Koh Siy Doi é a época a qual nos referimos significa “período dos reinos combatentes”.A lenda conta que Kuan Kun veio ao mundo como um Santo. Sua Mãe, certa vez sonhou que algo parecido com um sol entrou em sua barriga e a partir daí, sentiu-se grávida. Ao nascer, Kuan Kun chegou dentro de um ovo vermelho como sangue. Seu pai pertencia ao exercito com um alto escalão. Ao ver o ovo ficou enfurecido. Achava que aquilo não poderia ser gente, que não era a coisa certa, que talvez fosse até um animal... Sem pensar usou uma faca para matar o ovo, como todo ovo, deveria ser chocado antes de Kuan Kun Nascer. Entretanto, como ainda não era tempo certo para ele sair e seu pai cortara o ovo, o menino nasceu comum: o seu corpo era normal com qualquer criança, o seu rosto era vermelho como sangue, completamente vermelho.Já adulto, conta-se, que sempre foi uma pessoa correta, que não admitia maus procedimentos. Nunca praticou más ações, porem chegava a ser bruto para reprimir pessoas ruins. Atingiu o cargo de general do exercito e era excelente lutador. Nunca perdeu uma batalha.Sua Arma, Criada por Ele Mesmo. E sua especialidade era o Kuan Tou. A original pesava mais ou menos cinqüenta quilos.Corajoso e de espírito puro, gostava de disciplina e era muito inteligente.












Por tudo isso, os lutadores chineses em geral acreditam que ele proteja as academias e todos aqueles que lhe dedicam o respeito que merece.Contudo, na China, não são apenas os lutadores que convidam o espírito de Kuan Kun para protegê-los: é comum ver um quadro em estabelecimentos comerciais, delegacias, pastelarias etc. inclusive no Brasil, muitos chineses comerciantes mantêm esta tradição. Sendo um Santo oriental a ele são dedicadas festas, incensos, oferenda de alimentos,presentes enfim tudo conforme manda a tradição.Quando seu espírito é invocado, acende-se uma Luisinha vermelha, que significa que o Santo esta Presente.A qual não se apagará mais. Acredita-se que caso a luz se apague, o espírito irá embora. O fato de a luz ser vermelha é uma homenagem à cor de seu rosto, e é considerado como o “espírito do Sol” (o próprio Kuan Kun).Conta à lenda que este Santo morreu de velhice.E após a sua morte, aparecia constantemente aos seus soldados. Daí a ser considerado como o protetor dos lutadores. Em uma de suas aparições Kuan Kun disse; “Disciplina coragem e espírito limpo são essenciais ao verdadeiro Homem”. GRÃO MESTRE LAU FAT MANG GRÃO MESTRE LAU FAT MANG Lau Fat Mang era sobrinho de sangue de Lau Kai Man e começou a treinar desde criança com seu tio, chegando a Xangai, logo foi ao escritório central da Associação Chin Woo para ser professor. Em 1924 foi à aberta uma sede da Chin Woo em Hong Kong, então a Matriz de Xangai precisou enviar um Mestre para ensinar nessa nova sede de Hong Kong, Chan Tsi Cheng foi o escolhido, consequentemente, Lau Fat Mang tornou-se professor chefe na Associação Chin Woo onde ele treinou muitos alunos famosos. Após dois anos a Associação Chin Woo abriu outra filial em Fut Shan (sul da China ) então Lau Fat Mang foi enviado para esta nova sede. Em 1929, Chan Tsi Cheng deixou Hong Kong e retornou para o Norte da China, então a Chin Woo de Hong Kong ficou sem um Mestre de Garra de Águia. Esta situação levou Lau Fat Mang para Hong Kong e assumir a posição de Professor desta sede no lugar de Chan Tsi Cheng. Chegando a Hong Kong, Lau Fat Mang atraiu muitos alunos, entre eles estavam Ng Wai Nung (Mestre de Shum Leung), Lee Zhau Mang e Lee Waig Hong. Lau Fat Mang levava muito a sério seu trabalho e pacientemente trabalhou individualmente com seus alunos. Naquela época existiam três mestres muito famosos do Norte que ensinavam em Hong Kong: Kan Tak Hoi (técnicas de Macaco), Yip Yue Ting (estilo Lohan ) e Lau Fat Mang (Garra de Águia). Por esses três mestres serem da mesma aldeia de Huibei e serem muito habilidosos nos seus estilos de Kung Fu, a comunidade do Kung Fu os chamavam de “Os Três Heróis de Huibei”.












Eles eram muito bons amigos, e estavam sempre juntos. Em 1931, Lau Fat Mang foi convidado a chefiar a Associação Jung Na Wushu e lá ensinou por um pouco mais de um ano. Lau Fat Mang recebeu um convite em 1933 para ser Instrutor Chefe do Exército Guan Dung. Ele aceitou o convite e não muito tempo depois deixou de ensinar para os militares e retornou para Hong Kong. Fundou a “ESCOLA DE GARRA DE ÁGUIA LAU FAT MANG”. Logo após a inauguração de sua escola, os japoneses invadiram a China. Embora tivesse muitos alunos e sendo um grande patriota, ele decidiu fechar sua escola e lutar pelo seu País. Foi criador do 19º Regimento Armado “DAI DO” (Grande Facão ) e lutou na linha de frente até o Japão de render, após a guerra mudou-se para Guan Chou. Lau Fat Mang mudou-se com sua família para Hong Kong em 1949, ele continuou ensinando e divulgando o Kung Fu Garra de Águia. Nessa época a União dos Restaurantes Kowlong de Hong Kong o convidou para representar o estilo de Kung Fu do Norte. Em 1954, Lau Fat Mang, Lee Jen Chen e Dong Ying Kit, foram convidados para arbitrar a primeira competição de Lei Tai em Hong Kong, onde um mestre de Garça Branca chamado Chan Hut Fu desafiou um Mestre de Tai Chi chamado Ng Boong Yee, este foi o grande evento, muitos artistas famosos e a alta classe foram assistir. Durante o evento, Lau Fat Mang e Dong Ying Kit foram convidados para fazer uma demonstração de luta que foi mais emocionante que a luta da competição, pois estes dois mestres eram muito famosos.














O dinheiro arrecadado com o evento foi doado para uma instituição de caridade. Quando Lau Fat Mang retornou, contraiu uma pneumonia e ficou muito doente, tendo que ir para Chen Chao, uma Ilha de Hong Kong. Por mais de dois meses ele permaneceu na cama até se recuperar. Seu médico recomendou que ele evitasse trabalho pesado e stress, então decidiu permanecer em casa e ensinar seus filhos o estilo Garra de Águia. Também durante essa época, escreveu o livro “Shaolin Eagle Claw Fan Tsi Kung Fu” (Kung Fu Shaolin Garra de Águia Acrobático) e as 108 Técnicas de Chin-Na. Lau Fat Mang concluiu somente a metade das 108 Técnicas de Chin-Na, sua filha mais velha Lily Lau, hoje Grã Mestra, e seu irmão Francis Lau terminaram o livro mostrando as técnicas em fotos deles mesmos. Após alguns anos de repouso, quando Lau Fat Mang sentiu que estava totalmente recuperado, finalmente retornou a para Hong Kong ainda determinado em divulgar todo seu conhecimento em Kung Fu Garra de Águia. Então reativou sua escola em na cidade de Kowloon Mong Kok, onde teve um grande número de alunos. Em 17 de março de 1964, Mestre Lau Fat Mang terminou sua jornada na Terra com 62 anos de idade. Sua jornada iniciou em Xangai e viajou para o sul quando com apenas 22 anos de idade, ele transmitiu e divulgou o estilo Garra de Águia por quase toda sua vida. Embora fosse sobrinho de Chan Tsi Cheng, que foi um Mestre muito famoso, Mestre Lau Fat Mang causou um grande impacto devido ao seu esforço e tempo empregado no ensino, desenvolvimento e divulgação de tudo que aprendeu com o estilo Garra de Águia.

Não há duvidas que ele fosse o Grão Mestre do sul, por divulgar o sistema de Kung Fu Garra de Águia fora de sua área de origem, o norte da China. Ninguém jamais conseguiu fazer tão bem sua forma favorita “Joit Lok Tong” (Forma do Bêbado de Garra de Águia) como ele fazia. Grão Mestre Lau Fat Mang Grã Mestra Lily Lau GRÃ MESTRA LILY LAU Após a morte do Grão Mestre Lau Fat Mang, sua filha mais velha, Lily Lau herdou seu lugar e tornou-se a 8ª geração de Grão Mestre do Estilo Garra de Águia. Por ser indicada a continuar o sonho de seu pai, com apenas 17 anos de idade, continuou ensinando e divulgando o Kung Fu Garra de Águia durante 37 anos. A Grã Mestra Lily Lau atualmente tem escolas por todo o mundo, incluindo os Estados Unidos, Porto Rico, Brasil, Inglaterra, Hong Kong, Egito, Grécia e China.













Mestra Lily Lau viaja frequentemente para essas escolas onde atualmente apresenta seminários e workshops. Sem reclamar ou se cansar de ensinar, Grã Mestra Lily Lau, procura se dedicar ao máximo e não se preocupa com o que recebe em troca do seu esforço. Mestra Lily Lau é diligente em seu trabalho e esta focada na sua última meta, divulgar o Kung Fu Garra de Águia o máximo que ela puder e um dia gostaria de ver todas as Artes Marciais unidas. Não por sua escolha, mas pelas circunstancias e obrigações culturais, uma vez que o Kung Fu é parte integral da cultura chinesa, Grã Mestra Lily Lau não desapontou a comunidade do Kung Fu e sua família. Determinada a continuar o sonho de seu pai através de um trabalho duro e persistente, é a única mulher a cuidar de um sistema de Kung Fu e ensinar abertamente como Mestra.

Grã Mestra Lily Lau 3.1 – Sobre a Mestra Lily Lau Absoluta e majestosa, a Águia plaina tranquila sobre as nuvens. Intrépida na batalha, a Águia não teme inimigos. O que é necessário ser para reinar como soberana sobre essas nobres criaturas? Para ser a imperatriz das Águias? Talvez a Grã Mestra Lily Lau, líder do estilo Garra de Águia, não saiba a resposta. Como uma monarca, aceitou o chamado ao trono de uma linhagem de sangue que não poderia ser negado, um dever que foi aceito com honra. “Minhas circunstâncias foram tais que, meu pai morreu repentinamente, não houve sinal de nenhuma doença”, diz Grã Mestra Lily Lau através do seu interprete Felix Chu. “Eu era a única criança mais madura da família e minha mãe já estava morta, então eu não tive escolha além de assumir minha posição”. Embora isso fosse considerado “raro, altamente raro”, para uma mulher – e particularmente uma jovem, ela tinha 17 anos e estava assumido um estilo de Kung Fu tradicional. Grã Mestra Lily Lau demonstrou grande coragem para provar a si mesma e dentro da cultura tradicional chinesa ainda se perguntavam se ela sentia-se confiante para a tarefa, ela respondeu em uma voz forte e decidida, a voz de uma líder: “sim estou”. Embora a jovem Lau quisesse ser uma poetiza, uma arte que sua agitada agenda permitiria a ela ocasionalmente exercer hoje em dia, ela assumiu sua responsabilidade com vivacidade e continuava sentindo que isso foi à coisa certa a fazer. “Eu não me arrependo dessa decisão, agora que estou há 30 anos, isso esta em meu sangue”. Todavia, a linhagem será passada para a próxima geração com menos drama. Questionada se ela exigiria que seus 2 filhos, um com 22 e outro com 24 anos de idade, aos que assumissem o estilo, sua resposta foi “não, gostaria de vê-los participando do estilo Garra de Águia, porém não necessariamente assumindo os negócios”.














Outro fator é dedicado a parceria com a irmã da Grã Mestra Lau, Mestra Gini Lau, que ensina Garra de Águia, em Vallejo, Califórnia. Parece, portanto, que o Garra de Águia permanecerá com o processo hereditário e certamente será capaz de questionar seu sucesso.

Professores

Projeto Garrinhas

Essa é a A.T.S. QUE NÃO PARA!

Nossa Escola inova quando realiza atividades voltadas para crianças de 3 até 7 anos de idade, pois atrelamos as atividades lúdicas próprias para idade aliadas a marcialidade, desenvolvendo assim a coordenação motora, raciocínio e aprimora a educação e disciplina.

Os Professores Bruno Castro e Carolina Barbosa atuam com paixão e muito profissionalismo fazendo com que a criança ao terminar a aula tenha vontade de retornar o mais breve possível.

O projeto se deu início em 2016 e já é sucesso em nossa Escola tratando a criança como ela realmente é.

Siga nossos eventos no Instagram

Equipe profissional com atletas Marciais que realizam apresentações dentro e fora do estado de São Paulo. Possuem em seu currículo: Festa do Imigrante no Museu da Imigração, Ano Novo Chinês desde o primeiro ano de seu início até o atual no Bairro da Liberdade, Desfile Cívico “7 de setembro” mais de 5 anos, abriu 3 Copas de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau com seus Leões e Dragões. Realizou apresentações em vários Parques como: Trianon MASP, Ibirapuera, Aclimação, Linear em Taboão da Serra, seus professores já se apresentaram nos E.U.A. além dos Estados de Goiás e Rio Grande do Sul, também em São Paulo nas Cidades de Ibiúna, Tatuí, Taboão da Serra, Itapecerica da Serra, Embu das Artes e Catanduva.

Nossa escola também já realizou apresentações nas Facultades Uniban (3x), UniÍtalo (2x), UniCastelo e UniNove.

Já se apresentou em empresas corporativas em eventos voltados a cultura chinesa e proporciona também palestras voltadas as artes marciais comparativamente aos Grupos de Liderança e Trabalho em Equipe além de iniciativa com metodologia e didática utilizando apresentações e dinâmicas.

Contato: (11) 98111-1961

Contatos para eventos através do Email e Telefone

Contato

(011) 98111-1961  /  96359-4865
email:    fabiolachi00@hotmail.com

Leão

A Dança do Leão (Wushi) é uma reconhecida tradição do folclore chinês e é parte das festividades e comemorações como casamentos, inaugurações de estabelecimentos comerciais e, principalmente, o Ano Novo Chinês. Geralmente é realizada por escolas de Kung Fu para espantar os maus espíritos, trazer sorte, felicidade e prosperidade aos espectadores.

As habilidades fundamentais para as apresentações incluem força, resistência, flexibilidade e equilíbrio, além de executar as diversas posturas do Kung Fu.

O leão é tradicionalmente considerado como uma criatura guardiã em muitas culturas asiáticas. Ele é representado na tradição budista como a montaria de Manjusri. A dança do leão é realizada em muitas culturas asiáticas, incluindo China, Japão, Vietnã, Coréia, Taiwan e Tailândia, entre outros, cada país possuindo seu estilo e propósitos próprios.

A dança do leão é especialmente popular na cultura chinesa, com uma história que remonta a mais de mil anos. Existem vários estilos de dança do leão, mas a mais popular são a nortista e a sulista. A dança nortista se originou nas regiões setentrionais da China, onde era usada para o entretenimento da corte imperial. O leão nortista é geralmente de cor vermelha, laranja e amarela (às vezes com pelagem verde para a leoa), é de aparência desgrenhada e têm uma cabeça dourada. A dança nortista é muito acrobática e é realizada principalmente como entretenimento.

A dança do leão sulista é de natureza mais simbólica. Ela é realizada geralmente como uma cerimônia para exorcizar espíritos maléficos e para invocar sorte e felicidade. O leão sulista exibe uma vasta variedade de cores e tem uma cabeça peculiar com grandes olhos, um espelho na testa e um chifre único no centro da cabeça.

Dragão

Durante o Ano novo chinês, dançarinos do leão de escolas de artes marciais costumam visitar lojas para fazer o "Choy Chang" (significa literalmente "colhendo verduras"). O comerciante amarra um envelope vermelho contendo dinheiro numa cabeça de alface e a pendura em frente a porta da frente. O leão aborda então a alface como um gato curioso, "engole" a alface e cospe fora as folhas, mas não o dinheiro. Supõe-se que a dança do leão traga boa sorte e fortuna para o negócio, e os dançarinos recebem o dinheiro como recompensa (além deste aspecto lúdico, o "choy chang" era encarado como um pedido de proteção formal; ao aceitar o presente, a escola de Kung Fu cujos alunos realizavam a dança, comprometia-se a vir em socorro do comerciante caso seu estabelecimento fosse assaltado). A tradição tornava-se assim, uma transação mútua.

Outros tipos de "verduras" podem também ser usados para desafiar a trupe, quando, por exemplo, potes de abacaxis, toranjas, bananas, laranjas e pedaços de cana-de-açúcar são usados para criar pseudo-barreiras. A dança é também realizada em outras ocasiões importantes incluindo festivais chineses, cerimônias de inauguração de negócios e casamentos tradicionais.

Hoje em dia, os negócios não exigem muito dos dançarinos, e este é um dinheiro fácil para as escolas de artes marciais. Nos dias de antanho, a alface era erguida entre 4, 5 e 6 metros de altura e somente artistas bem treinados em artes marciais podiam alcançar o dinheiro enquanto dançavam com uma pesada cabeça de leão. Estes eventos tornaram-se um desafio público. Uma grande quantia de dinheiro era oferecida, e a platéia esperava um bom espetáculo. Algumas vezes, se leões de várias escolas de artes marciais abordavam a alface ao mesmo tempo, imaginava-se que os leões deveriam lutar para decidir quem seria o vencedor.

Os leões tinham de lutar com refinados movimentos de leão, em vez dos estilos caóticos de luta de rua. A platéia então julgava a qualidade das escolas de artes marciais de acordo com o que os leões haviam lutado. Dado que a reputação das escolas estava em jogo, as lutas eram geralmente ferozes, mas civilizadas. O leão vencedor usaria então métodos criativos e habilidades de artes marciais para alcançar a recompensa pendente nas alturas. Alguns leões podiam dançar sobre pernas de pau e alguns podiam formar pirâmides humanas compostas por seus colegas de escola. Os dançarinos e as escolas ganhavam elogios e respeito, em acréscimo à grande recompensa financeira, quando ss\e saíam bem.

Parceiros

Curiosidade

Na 1a Copa de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau a A.T.S. levou o maior número de Alunos para competição;


Na 2a Copa de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau a A.T.S. levou o maior número de alunos e número de inscrições, recorde de 104 alunos e mais de 120 inscrições;


Na 3a Copa de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau no Estado de Goiás a A.T.S. foi a segunda Escola no número de inscrições e número de atletas perdendo somente para o Estado sede;


Você sabia que a 1a Copa de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau foi realizada na Cidade de Taboão da Serra? Coincidência?


No primeiro exame de graduação internacional, seu aluno Thiago Rederson foi considerado o melhor Faixa preta ;


Seu Leão Vermelho, seu leão verde e seu leão branco foram os 3 primeiros leões do Brasil a serem batizados pela Grã Mestra Lily Lau em Cerimônia que ocorreu no seminário organizado pela A.T.S. junto da Arte Nobre com a forma Sap Lou Da;


No torneio que ocorreu na Cidade de Tatuí, a A.T.S. foi a maior em número de inscrições e atletas do evento que contou com a presença da Grã Mestra Lily Lau;


Seus Professores fizeram parte da primeira turma a se formar internacionalmente com a Grã Mestra Lily Lau do Estado de São Paulo;


Fábio Lachi é o primeiro Neto Marcial da Grã Mestra Lily Lau com o nome de Tou Shun Mang Yan (significa Bondade)


É a única Escola que paralelamente colocou a Cidade de Taboão da Serra na rota das apresentações através das prévias do Ano Novo Chinês durante 4 anos consecutivos


Seu Sifu responsável Fábio Lachi recebeu a medalha "19 de fevereiro" e a placa da câmara dos Vereadores por unanimidade em 2016;


Nos Desfiles cívicos de "7 de setembro" nossa Escola participou já a mais de 5 anos, sendo 4 anos consecutivos;


Durante 5 anos consecutivos é a Escola com o maior número de integrantes a participar do desfile do Ano Novo Chinês que ocorre no Bairro da Liberdade em São Paulo


Sifú Fábio Lachi já representou o Brasil no torneio em Pequim na China e também nos Estados da California e Texas nos Estados Unidos, ao todo trouxe 5 primeiro lugar, 2 segundo e 1 terceiro;


Você sabia que o Sifu André Neri é o aluno mais antigo em atividade do Toudai Francisco Nobre?


Seus principais professores tem mais de 25 anos de experiência em artes marciais em especial Kung Fu Garra de Águia.